ENOTURISMO

CASTAS

Tintas e brancas.

Todas as que são relevantes na

produção de vinhos em Portugal.

Segue-se a TINTO CÃO

Ilustra_Casta_Tinto_Cão.jpg

Tinto Cão

Imagem: Wines of Portugal

TINTO CÃO

Apresentação Geral

Está presente no Douro desde o século XVIII, sabendo-se que a sua presença no Dão é bastante mais recente. Por ser quase economicamente inviável, ao oferecer uma produtividade incrivelmente baixa, a sua sobrevivência já esteve em risco. Possui cachos muito pequenos, apresentando-se como uma variedade de maturação tardia. A sua película densa e grossa garante-lhe uma resistência adequada aos ataques de míldio e podridão.

Autoria do texto: Wines of Portugal

Lavradores

de Feitoria

DOURO

POUCO MAS BOM

Dos Socalcos às Terras de Viriato

Não é uma das castas mais plantadas em Portugal, nem nada que se pareça. Produz de facto muito pouco, o que não ajuda quem a cultiva a conseguir rentabilizar o tempo, dinheiro e trabalho investidos... Portanto, é fácil! Simplesmente deixamos de a utilizar... Pois é, seria uma boa solução mas a Tinto Cão tem trunfos na manga para contrariar quem ache que não vale a pena utilizá-la nos vinhedos. A produção pode ser baixa, mas quando tudo corre bem, esta casta oferece muitas coisas boas aos vinhos onde participa. É talvez a casta mais equilibrada de todas, a que consegue conciliar o melhor de vários mundos. Que o digam os produtores do Douro e do Dão, onde a Tinto Cão tem um lugar especial reservado na vinha. Um dos melhores exemplos do poderio desta casta é que em média, cerca de 10% do blend do famoso Barca Velha é constituido pelos seus bagos. Muitos dos mais famosos vinhos do Porto feitos em Portugal não prescindem dela. Que dizer? Descartável? Nem por isso!...

VINHOS

Madura no Ponto

Para a Tinto Cão só existem duas possibilidades. Ou está bem madura ou está bem madura!... Não há lugar para o meio termo ou para condescendências. Se a boa maturação não for conseguida, os seus vinhos vão ser muito maus. Mesmo! Por isso, esta casta exige que o ano seja bom, que os cuidados na vinha sejam muitos. Usufruir permanentemente dos raios de sol e luz é fundamental. Quando tudo se alinha, e a maturação é perfeita, os vinhos da Tinto Cão serão extraordinários. Com cor muito densa e escura, os vinhos apresentam aromas marcantes, tipicamente florais mas com notas de frutos vermelhos selvagens. Quando bebidos vamos perceber que os taninos estão bem presentes, robustos, mas com uma elegância e suavidade que muitas vezes surpreendem mesmo os mais atentos.  

CULINÁRIA

Os Reinos do Açucar e do Sal

Já que a Tinto Cão tem presença garantida nos melhores vinhos do Porto do país, podemos até começar com o tema culinário relativo à doçaria. Porto a acompanhar doces é um clássico, e muito bem! São perfeitos para acompanhar sobremesas com frutos secos ou um bom pão-de-ló. E se tiver um bom Vintage à mão, em alguns casos, não diga que não a juntá-lo a uma refeição de carne vermelha...

Com tantos e bons tintos do Douro e Dão onde a Tinto Cão marca presença, as harmonizações possíveis são muitas, preferencialmente dentro do universo das carnes, dos queijos e dos enchidos.  

Quinta da Romaneira

DOURO

SUGESTÕES

VINHOS DA CASTA

TINTO CÃO